Atire um limão ao rio…

Um discípulo procurou o Mestre questionado sobre a importância da necessidade do perdão e o mestre deu-lhe a seguinte tarefa:
-Passe para um vaso de barro, um dos pés de limão do nosso pomar atire um limão ao rio cada vez que alguém o desagradar…
E assim foi feito a cada aborrecimento o discípulo retirava um limão e atirava ao rio.
Tempos depois o Mestre visitou o discípulo e pediu para ver o  pé de limão era outono e o arvoredo embora já  tornara-se uma arvore estava seco e sem frutos e o vaso havia partido pela forças da raiz e o Mestre disse ao discípulo os galhos secos sem folha reapresentam as pessoas que se afastaram de você o deixando só…Os frutos representam o mau que desejou e que não pode mais atingir as pessoas e as raízes a amargura e frustração por não conseguir seu intento contra seus desafetos e o vaso despedaçado sua alma …
em resumo não devemos plantar dentro de nos desejos de vingança pois com o tempo sobra apenas esse sentimento em nossa vida sufocando todos os sentimentos de amor e felicidade que nos destina a vida.
(Anonimo)

O Brasil venceu a Alemanha

O goleiro Weverton comemora após defender pênalti, na final do futebol masculino no Maracanã.

O Brasil venceu a Alemanha neste sábado no estádio do Maracanã na disputa de pênaltis (5 a 4) e conquistou a inédita e tão perseguida medalha de ouro em uma edição de Olimpíadas, após um empate em 1 a 1 no tempo regulamentar e prorrogação. Depois de bater na trave e parar em três medalhas de prata, a seleção brasileira olímpica finalmente conseguiu esse título que faltava para a história do futebol canarinho. A vitória saiu dos pés da estrela Neymar. Autor de um golaço de falta no tempo normal. Foi o camisa 10 também quem acertou a última cobrança de pênalti, que deu a vitória ao Brasil. Se a vitória veio nos pés da Joia, passou antes pelas mãos do goleiro Weverton, que defendeu a quinta cobrança alemã. Meyer fez o gol de empate dos alemães dentro dos 90 minutos.

fonte-www.guiadoboleiro.com.br

Não vou mijar na cama hoje

 

xixi

Lembranças da infância sempre me perseguem… algumas me fazem chorar quando me lembro, outras choro de alegria.

Me lembro com carinho de minha avó,  tinha uns 8 anos e dormia na casa dela, apenas lembro que sonhava  que estava dentro de um rio… acordei “mijado” a cama toda encharcada, levantei meio sonolento e só de olhar para minha avó ela sabia que eu tinha feito. Trocou os lençóis , trocou minha roupa, me levou pra cama dela e me cobriu em silencio… comecei a chorar, ela me abraçou e disse “tudo bem, querido- isso acontece ás vezes “.

Me deu um beijo e disse “mas não molha essa cama, que estou dormindo nela também” –  rimos muito depois disso, rimos tanto que dormi feliz  da vida, quando amanheceu o dia , ela não era só minha avó, mas a pessoa que compartilhava um segredo comigo e que me fazia prometer , sem pedir nada ” que não ia mijar na cama hoje”. Vou me lembrar daquela noite pra sempre e vou sentir o cheiro da colônia da vovó, sempre que a vejo em meus pensamentos.

M.J.S, eu- autor.

sou irritável e piro facilmente…

OIE

Tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras; sou irritável e piro facilmente; também sou muito calma e perdoo logo;

não esqueço nunca; mas há poucas coisas de que eu me lembre; sou paciente, mas profundamente colérica, como a maioria dos pacientes; as pessoas nunca me irritam mesmo, certamente porque eu as perdoo de antemão;

gosto muito das pessoas por egoísmo: é que elas se parecem no fundo comigo; nunca esqueço uma ofensa, o que é uma verdade, mas como pode ser verdade,

se as ofensas saem de minha cabeça como se nunca nela tivessem entrando? Tenho uma paz profunda, somente porque ela é profunda e não pode ser sequer atingida por mim mesmo;

se fosse alcançável por mim, eu não teria um minuto de paz; quanto a minha paz superficial, ela é uma alusão à verdadeira paz; outra coisa que esqueci é que há outra alusão em mim – a do mundo grande e aberto; apesar do meu ar duro, sou cheia de muito amor e é isso o que certamente me dá uma grandeza…

Clarice Lispector