AMO VOCÊ TANTO, TANTO…


AMO VOCÊ TANTO, TANTO…

Quero sentir o teu perfume,
em todo o meu corpo…
Quero respirá-lo contigo!
Quero senti-lo quente, como o teu corpo,
colado junto comigo!
Calor que roubo sem pudores,
em nossas noites de amor e de desejos…
Quero estar contigo a sós,
tão a sós como se estivesse só, só comigo!
Ou como se você estivesse só, só contigo!
Como se juntos, fossemos um só ser!
Quero você tanto, tanto,
que vivo o seu viver!
Que choro as tuas dores, como se minhas fossem…
Que sinto nos lábios o sal em tuas lágrimas,
e banho meu peito com teu pranto!
Amo você tanto, tanto,
que suas alegrias produzem os meus sorrisos…
Que sinto o que sente o teu peito,
que bate em um só ritmo, com o meu coração…
Amo você tanto, tanto, que não sinto solidão!
Pois eu tenho você sempre comigo,
dentro da alma,
dentro do coração!
Abrasando o sangue de minhas veias,
iluminando os meus caminhos,
mostrando-me para os passos as direções…

Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
12/09/2010

mariabonitaepoesia.com.br

EDUCAR É UMA AÇÃO…

Educar é uma ação…

Nestes dias que correm, o ato de educar tem esbarrado em dilemas ligados a propósitos e a métodos de ensino e aprendizagem.
No que se refere aos propósitos, sempre estão embasados em altos níveis de expectativas, a saber, entre outros:
Inclusão do educando na sociedade, com uma bagagem que o torne apto e atuante, de forma que possa destacar-se e progredir dentro desta mesma sociedade.
Dar atenção a cada educando, como individuo, respeitando todas as suas peculiaridades, tanto culturais quanto pessoais.
Fazer valer dentro de sala de aula a participação de cada aluno, numa interação sempre constante entre alunos e professores.
Fica em mim a impressão de que os objetivos ultrapassam as capacidades tanto de alunos quanto dos professores, visto que ambos carecem de um maior preparo e empenho, para a consumação de tais objetivos.
No que tange aos educandos, sinto que estão muito fragilizados em sua constituição como pessoas e assim, não compreendem a totalidade daquilo que lhes é proposto.
Quanto aos mestres, mesmo apoiados em anos de preparo para o magistério, deparam-se com uma realidade que foge ao seu domínio e possível entendimento.
As políticas governamentais para a educação são sempre ambiciosas demais, com muitos requintes e detalhes que estão fora da realidade daqueles a quem se destinam.
O problema maior esta apoiado na qualificação escolar pretérita de cada aluno, qualificação esta que foi construída mediante ás políticas governamentais anteriores para a educação.
Qualificação que esbarrou em vários problemas inter-relacionados, entre os quais:
Vontade de cada aluno e seu empenho em aproveitar a permanência dentro do ambiente escolar ao máximo e na outra ponta o apoio dos pais e participação destes na vida escolar dos próprios filhos.
Faço esta generalização sem medo de errar, consciente de que existem exemplos de participação de alunos e pais no processo de aculturamento e aprendizagem de nossos jovens.
E sim, creio que educar é uma ação, uma ação em constante modificação e aprimoramento, mas ao mesmo tempo me pergunto; Qual o modelo educacional que queremos para nossos filhos?
E mais, Quem são os nossos filhos, ou como estão estruturados, para enfrentar os desafios dos dias que correm nesta sociedade tão competitiva e desigual?
Educar é assim uma ação coletiva em que a participação também é coletiva, onde pais e escola são ou deveriam ser parceiros intimamente ligados…
Esta ação de educar fica sempre prejudicada quando aqueles que deveriam exercê-la não têm um relacionamento franco e aberto, onde objetivos estejam consoantes com métodos…
As escolas, por exemplo, depara-se com realidades que são em sua maioria desconhecidas pelos pais, a respeito dos próprios filhos…
Os pais a seu tempo, deparam-se com conceitos educacionais aos quais desconhecem e por falta de engajamento com a rotina escolar, no que tange ao conteúdo programático da escola, e estranham… Pior ainda, pais e escolas estão se estranhando mutuamente.
Uma possível solução para estes dilemas reside em meu pensar em dois pontos:
Que os pais saibam realmente quem são os filhos.
Que os pais saibam realmente o que as escolas procuram ensinar.
Existe como conseqüência das adversidades da vida cotidiana um alheamento nos pais no tocante aos próprios filhos… Os nossos filhos são muito mais do que apresentam dentro de nosso ambiente familiar!
E as escolas têm sido usadas como depósitos para problemas familiares, sociais, que não são objetos de sua alçada e competência. Não obstante todo o empenho de professores e diretores na equalização destes problemas…
Sim, educar é uma ação!
Será que estamos todos, pais, filhos, escolas conscientes de sua importância?
Em certo sentido eu penso que não!
No momento em que todos nós, fizermos o nosso melhor, estaremos mais conscientes da importância da ação de educar…
Penso que estaremos neste patamar de entendimento, quando por um lado, tivermos plena consciência de quem são os nossos filhos, o que querem, o que pensam e o que sentem…
Quando os nossos filhos souberem quem somos enquanto pais e os objetivos que almejamos…
Quando pais e filhos estiverem abertos para os desafios em nossa sociedade contemporânea e trabalharem juntos para vencer tais desafios…
E também é importante sabermos que a educação é uma ação política, e que governos são políticos…
Educar é uma ação…
Como estão sendo, efetivamente, empreendidos os nossos esforços na ação sempre constante e dinâmica de educar?

Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
16/09/2010

mariabonitaepoesia.com.br

Sobre a obra que ilustra o blog

Há tantas figuras que retratam pictoricamente a filosofia que, quando se pensa em escolher alguma para enfeitar um blog, por exemplo, corre-se o risco de não saber qual fica melhor – ou seja, qual faz a melhor composição e qual carrega o significado que se pretende dar ao conjunto figura-textos.

Muitos leitores do blog devem estar bastante familiarizados com “A morte de Sócrates”, de Jacques-Louis David, pintada em 1787. No cabeçalho do blog vemos um detalhe da obra, com as cores e a iluminação editadas para realçar Sócrates e a taça de cicuta. A obra original pode ser vista aqui.

Gosto muito dessa obra neoclássica. Ela não é apenas “sobre” um filósofo (Sócrates) no momento em que vai realizar sua última ação em vida (a ingestão da cicuta). A obra é também reveladora do ser da filosofia.

Não creio que seja necessário explicar detalhadamente quem era Sócrates, o que fazia, o motivo de ser condenado. Se você não sabe, leia aqui.

O que me interessa na imagem é que ela capta o momento em que surge a filosofia: o momento em que Sócrates terá a cicuta em suas mãos e diz suas últimas palavras – o momento em que o homem é consciente de sua finitude e, por meio da linguagem, compreende e afirma, positivamente, o que significa ser homem.

A obra propõe que a filosofia acontece no levar a cicuta à boca. O tempo mínimo e precioso entre o segurar a taça e o beber o veneno – é esse o tempo inalienável da filosofia.

É por isso que gosto tanto de “A morte de Sócrates”: porque mostra, de modo simples e elegante, o momento da filosofia.
Fonte: oficina de filosofia

mariabonitaepoesia.com.br

Viadeo

      

mariabonitaepoesia.com.br

nossa luta é constante

Mantenha a calma, tenha paciência e perceba as coisas que estão acontecendo ao teu redor. A felicidade em viver é observar esses instantes mágicos, que nos enchem o coração de alegria e nos anima por dentro.

Segue seu dia, viva um de cada vez e as coisas vão acontecer naturalmente. Lembre-se sempre das tuas qualidades e do teu modo de enfrentar a luta do seu dia-a-dia.

Aproveite o dia de hoje para avaliar o teu ontem… Vai ver que seu amanhã será muito mais significativo em todos os sentidos.

Nossa luta é constante, precisamos estar fortes energizados de amor, carinho e muitas esperanças.

Faça tua parte, e vá à luta. O melhor ainda está por vir.

mariabonitaepoesia.com.br

Teus olhos entristecem

Teus olhos entristecem
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem…
Não me ouves, e prossigo.
Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez…
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil. 

Fernando pessoa

mariabonitaepoesia.com.br

Escrever é esquecer

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.
A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm.
A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida – umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana.
Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa.
Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.
Fernando Pessoa
mariabonitaepoesia.com.br

SABE AQUELE SONHO DE PUBLICAR SEU LIVRO SOLO? CHEGOU A HORA…


PROPOSTA EDITORIAL BECO DOS POETAS
      
Proposta Editorial – Inicialmente apenas Poesias. Sugestão de como publicar seu Livro de forma simples e pratica com o apoio do Beco dos Poetas: Dados técnicos do livro sugerido: Total de paginas 80 Preço de capa sugerido 25,00 Miolo sem gravura Capa Colorida
ISBN
Ficha Catalográfica
Deposito Legal

Passo 1 - Você convida 20 amigos a adquirir seu livro via compra antecipa (de preferência parentes, amigos próximos e que compreenderam eventuais atrasos no caminho de produção do livro evitando problemas).

Passo 2-Procure um espaço público e peça autorização para fazer o lançamento no local (Sugestão de local : biblioteca, associação de moradores, clubes, um bar onde paga-se apenas a consumação e permite realizar eventos muito comum em centros urbanos, ou mesmo em sua casa na forma de festa possibilitando uma confraternização)

Passo 2 – Se mora fora de SP grave tudo em vídeos de 5 minutos e nos envie para que divulguemos em nosso videolog, se mora em SP poderá lançar em um de nossos sarais

O que vem após o lançamento?

a)- Comercializamos seu livro em nossos site e sites parceiros ao preço de 25,00 dos quais recebera 10% sobre as vendas sempre que atingir o valor de 50,00

c)-Abrimos linha direta autor editora através do qual o autor poderá solicitar “mine” edição de um mínimo 15 exemplares com desconto de 40% ( 15,00 a unidade) podendo comercializar livremente em seu blog, site ou entre amigos

OBS: Os livros poderão ser retirados no local sem custo de postagem, ou recebidos via correio a postagem é por conta do autor e modelo padrão de envio adotado é o sedex outra modalidade devera ser solicitada por escrito no momento do contrato ou do envio.

Maiores informações : Fone (11) 50212233 - Maria Jeremias dos Santos Gerente de conteúdo ou e-mail: maria@becodospoetas.com.br

mariabonitaepoesia.com.br