Alguns instantes

Por alguns instantes
Deixo refletir meu rosto
molhado de lágrimas diante do espelho.
Onde a dor exala seu mais profundo
pesar…transbordando minh’alma
Com tristeza que aperta meu coração,
Mas a esperança persiste…
E o sorriso volta á minha face
Lembrando de coisas boas
e um doce despertar alegra meu coração
Através de uma linda canção.
Maria J. Santos
mariabonitaepoesia.com.br

ESCOLHAS

O mundo se move e evolui de acordo com os nossos atos. 
Todos os dias, o dia todo, temos que tomar decisões… 
As mais simples e imperceptíveis decisões e acabamos sendo vítimas das suas conseqüências, sejam elas boas ou ruins.
Podemos escolher acordar cedo ou esperar mais um pouco na cama;
dar bom dia ou ficar calado; Dar um sorriso ou fazer cara feia…

Andar ou ficar parado; Tomar um ônibus ou outro; Usar aquela roupa especial ou guardá-la para uma oportunidade que talvez nunca surja;
Abraçar alguém num reencontro ou passar batido com um simples movimento da cabeça; Podemos escolher ligar para alguém que há muito não vemos
ou deixar o tempo passar até que ele mude o número do telefone e se perca de vista.

Passar um e-mail para alguém querido para dizer qualquer coisa ou passar horas na frente de um computador trabalhando loucamente e cansando a vista. Bom… é preciso escolhermos fazer aquilo que nos fará bem, se bem que nem tudo que escolhemos é o certo, mas fique bem por ter escolhido simplesmente fazer o que achava correto..Mas não se arrependa por ter escolhido errado, arrependa-se, sim, quando nada escolher.

Escolher é arriscar evoluir e ser feliz, não escolher nada é certificar-se
do marasmo da solidão, do fracasso e do “se” (se tivesse feito isso… Se tivesse ido… Se tivesse falado… Se tivesse ouvido).
Eu escolhi ler mensagem que recebi e passar 
diante a mensagem da escolha.

mariabonitaepoesia.com.br

Escrever é esquecer

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.
A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm.
A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida – umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana.
Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa.
Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.
Fernando Pessoa
mariabonitaepoesia.com.br

POETA HOMENAGEADO NO III SARAU DO BECO

O tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

mariabonitaepoesia.com.br

SENSIBILIDADE

Há alguns anos, nas Olimpíadas Especiais , nove participantes, todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos.

Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos, com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu e ,rolando, e começou a chorar.

Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás. Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: “Pronto, agora vai sarar”.

E todos os nove competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos.

Talvez os atletas fossem deficientes mentais… Mas, com certeza, não eram deficientes da sensibilidade… Por que? Porque, lá no fundo, todos nós sabemos que o que importa nesta vida é mais do que ganhar sozinho.

O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso de vez em quando.

mariabonitaepoesia.com.br

Você tem experiência ???

  •  

    ESSA REDAÇÃO MERECE SER LIDA E DIGERIDA:O SUJEITO TEM ALMA!!! REDAÇÃO DO CONCURSO DA VOLKSWAGEM
    No processo de seleção da Volkswagen do Brasil, os candidatos deveriamresponder a seguinte pergunta: ‘Você tem experiência’?
    A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi aprovado e seu texto está fazendo sucesso, e com certeza ele será sempre lembrado porsua criatividade, sua poesia, e acima de tudo por sua alma.
    REDAÇÃO VENCEDORA:
    Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar.
    Já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto. Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo. 
    Já  quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
    Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora .Já passei trote por telefone. Já tomei banho de chuva e acabei me viciando. Já roubei beijo. Já confundi sentimentos. Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
    Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro. Já me cortei fazendo a barba apressado. Já chorei ouvindo música no ônibus. Já  tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que eram as mais difíceisdeesquecer.
    Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas. Já subi em árvore pra roubar fruta. Já caí da escada de bunda. Já fiz juras eternas. Já escrevi no muro da escola. Já chorei sentado no chão do banheiro.
    Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante. Já corri pra não deixar alguém chorando. Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só. Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado.Já me joguei na piscina sem vontade de voltar.
    Já bebi uísque até sentir dormente os meus lábios. Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar. Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso.Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial. Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já apostei em correr descalço na rua,Já gritei de felicidade,Já roubei rosas num enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um ‘para sempre’ pela metade.
    Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol. Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão. Foram tantas coisas feitas..
    Tantos momentos fotografados pelas lentes da emoção e guardados num baú, chamado coração. E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita: ‘Qual sua experiência?’ .Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência.. .experiência. ..
    Será que ser ‘plantador de sorrisos’ é uma boa experiência? Sonhos!!!
    Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!
    Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta: Experiência?
    “Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?”

    P.S-Recebi essa mensagem do meu amigo Alexandre do http://blogueirodobem.zip.net/

mariabonitaepoesia.com.br